Dias espetaculares

13 set

Quinta-feira foi um dia quase cheio.

Pela manhã fui pra hidroginástica. Embora não tenha chovido, estava soprando um vento frio e a água estava beeem gelada e a turma cheia. A aula foi divertida. Uma das senhoras me perguntou o motivo de eu fazer hidro, se eu tinha problemas de saúde. Disse que o neto dela também é jovem e faz natação. Perguntou também o porquê de eu não fazer natação. Estar numa turma de idosos é aprender a ouvir e lidar com a curiosidade alheia. Eu não me importo em responder perguntas. Mesmo quando elas são sobre a minha vida e escolhas. Nunca fiz o tipo discreta. Isso não combina comigo. Sou aberta e dada aos diálogos.

À tarde, teve consulta com o psicólogo. A gente conversou bastante sobre um monte de coisa. E eu falei sobre o horário de sono desregulado. Ele disse que isso é normal porque na maioria dos dias eu tenho aula ou dou aula à noite. Chego em casa por volta das 22h. Ele disse que o corpo demora um tempo para desacelerar e, por isso, não tem como dormir cedo. Contei que amava dormir pela manhã. Ele riu e falou que não há problema algum nisso. Se eu tivesse algum compromisso nesse horário, provavelmente, ficaria acordada. Entretanto, não tenho. Ele me lembrou que foi pra isso mesmo que eu deixei os meus horários livres. Para descansar, ler o quanto quiser, dormir quando sentir sono. Sai mais desencanada.

À noite, tinha combinado de ir ao cinema com o namorado. Entretanto, Papai ligou pra casa dizendo que ia fazer um sopa bem gostosa. Eu amo sopa. Ou melhor, eu amo sopa com pão. Sou dessas que gosta de molhar o pão no caldo. Não nasci para ser lady, nem rica. Troquei o cinema pela sopa. Minha irmã riu muito da minha troca. Disse que uma pessoa normal jamais faria uma troca dessas. Eu AMO comer. Não sou capaz de compreender quem trocaria uma janta gostosa por qualquer outra coisa. Raimar gosta da minha companhia. Trocou um torneio de Marvel Battle Scenes pelo cinema e, depois, o cinema pela janta.

Problema: Na minha primeira colherada veio um bichinho preto nadando. Comecei a vasculhar a sopa com a colher e percebi que havia muitos bichinhos pretos. Fiz o alerta. Todo mundo começou a olhar o próprio prato. Conclusão: Todos contaminados. Papai não viu que o macarrão estava cheio de gorgulho quando o jogou na sopa. A gente pediu para ver o saco que ele utilizou. Estava cheio. Então, toda a sopa foi para o lixo. A gente na super expectativa e potof. Nada de sopa.

Decepcionados e sem opção, decidimos sair para jantar. Fomos a um restaurante perto de casa. Entretanto, lá não vendiam o que eu pudesse comer. Sendo assim, decidimos voltar para casa e inventar uma janta improvisada.

Detalhe: antes da sopa ficar pronta, já estávamos com fome. Depois da tragédia com os gorgulhos, pegamos o carro, saímos, encontramos um lugar, discutimos acerca dos alimentos, voltamos para casa. Ou seja, fome triplicada. Papai fritou ovos e nós comemos pão com ovo (Ô pobreza!). Eu só digo uma coisa, que talvez seja reflexo da fome que senti, nunca na minha vida eu tinha comido um pão com ovo tão gostoso. De lamber os beiços.

Só sinto por Raimar. Perdeu o torneio, não viu o filme, foi convidado para jantar com a família da namorada e comeu pão com ovo. Ser meu namorado é padecer no paraíso.

Hoje foi um dia excelente.

Minha tia avó me convidou para almoçar com ela. Tinha feito carne de soja para mim. Tudo uma delícia. Amei! Vou confessar: adoro estar com família. Com essa tia avó em especial, gosto ainda mais.

À tarde sai com as amigas para tomar um açaí. Amigas que não via há tempos. Pense num momento gostoso! Conversamos muito. E conversar é sempre bom.

À noite fui a aula de fonética e fonologia. Hoje foi o dia da professora divulgar as notas da primeira unidade. Momento de tensão. Felizmente, ficamos com 9,1 (tudo foi feito em dupla. Vanessa não é só dupla acadêmica. É dupla para vida). A nossa nota foi a mais alta da turma. Estou contente por isso. Nós faltamos um trabalho por causa das chuvas e ficamos com medo da professora não nos dar a oportunidade para recuperar. O bom de ser o tipo de aluna que participa, que sempre faz os exercícios é ganhar credibilidade. Nunca aconteceu de um professor ter má vontade comigo. Porque eu não sou de faltar ou não demonstrar interesse. A professora passou um trabalho igual ao dos outros mudando as palavras para fazermos junto com a prova.

Papai cozinhou carne para fazer sopa de novo. Dessa vez, sem gorgulho. Só para matar a nossa vontade.

Sem sintoma de colite ou de qualquer outra coisa. Na hora, o episódio da sopa foi frustrante, mas poucos minutos depois já estávamos rindo da situação. Meus dias tem sido leves e cheios de aventura. Me sinto muito bem.

Para quem quer saber mais sobre gorgulho e como se livrar deles: http://solucoeslucymizael.com.br/eliminar-acabar-com-caruncho-gorgulho/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: